segunda-feira, 1 de julho de 2013

VANDALISMO NA INFORMAÇÃO DA GLOBO

Paulo César dos Santos

É irritante a ênfase que os repórteres, noticiaristas e âncoras da Rede Globo de Televisão emprestam à voz, quando falam dos "vândalos" que prejudicam as manifestações espalhadas pelo país. Dão muito mais importância a isso do que ao sentido amplo desse momento que ninguém pode negar como um grande momento da democracia nacional. A democracia não dada, e sim, reclamada pelo povo; tomada pelo povo, nos braços da indignação que gera um basta com todas as características de algo definitivo.
A Rede Globo sempre manipulou as informações de acordo com os seus interesses. Não se pode afirmar que ela minta, como gritam os manifestantes, mas manipula. Informa de modo parcial, contornando o sentido do que informa, aparentemente para agradar ao poder público. Fez assim com o ex-governador Leonel Brizola, emprestando-lhe uma imagem de inimigo público, porque Brizola falou em direitos para os presidiários; tentou criar um sistema penitenciário capaz de transformar o detento por meio do trabalho, da educação e outros itens de cidadania. Tudo o que a própria Globo hoje finge pregar, como se fosse novidade, porque outros governantes (os que atendem aos seus interesses) mostram pensar assim.
A mesma Rede Globo manipulou a massa para exigir o impeachment do ex-presidente Fernando Collor, que em nossa opinião estava realizando grandes projetos pela economia nacional, de contenção da inflação e rigidez contra desmandos. Um presidente que não se mostrou disposto a agradá-la, o que o fez diminuir privilégios e favores à maior detentora das grandes mídias nacionais. É certo que teve seus desmandos, mas nada que se compare aos de hoje, cometidos pela turma do PT, que conta com o grande lobby da empresa, para defender seus interesses.
Voltando às manifestações, que a GLOBO foi obrigada a noticiar de forma bem mais ampla: existem sim, os casos de baderna, mas estes não correspondem a um milésimo da importância de todo o ato, que já  é vencedor. Já derrubou, inclusive, a PEC 37, que, no fundo, visava favorecer o ex-presidente Lula, hoje apontado como chefe do mensalão, quando certamente pretende voltar ao poder, e para isso, é preciso que o ministério público perca força e pare de investigá-lo. E o Lula voltando ao poder, ou pelo menos o PT não o perdendo, o que acontece? Os privilégios da Globo se mantêm.
Isto sim, é vandalismo. Um imenso ato de vandalismo cometido  contra todo o povo brasileiro. Vandalismo igual aos desmandos que o PT vem cometendo desde que assumiu o trono deste gigante que já não quer mais ficar adormecido. Aprendemos a protestar por conta própria, sem manipulação partidária; estamos exercendo como nunca, nossa indignação, e esperamos com toda a sinceridade: também estamos aprendendo a votar, independentemente da cartilha ou do catecismo da Rede Globo ou de qualquer outro meio de comunicação que por acaso compactue com as mesmas práticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário